A Rede

No que você está pensando?

É a pergunta e provocação da rede. Talvez você não esteja pensando em nada em especial, mas, por um impulso momentâneo, você publica alguma coisa para, de alguma forma, se sentir participativo e contemporâneo, e talvez expressar seus pensamentos. Ou não, talvez até você publique alguma bobagem qualquer simplesmente por publicar.

Aí, passamos para outras etapas, curtir, comentar ou compartilhar.

No Facebook, se for curtir, você tem seis possibilidades de se manifestar: um gostei, um amei, um riso, uma surpresa, um sentimento de tristeza e outro de indignação — são essas as suas opções. Comentar e compartilhar, por si só, já são autoexplicativos. Ok, vamos em frente.

Ela permite que você tenha um milhão de amigos, sendo que, dentre eles, quem você conhece mesmo são bem poucos, lógico, se você quiser fazer “amizade” com toda solicitação que receber.

Vamos mais à frente. Você se anima e começa a publicar várias coisas, chegando ao ponto de publicar pensamentos tão íntimos que você se assusta consigo mesmo, numa abertura de guarda total — e ainda compartilha! Ao mesmo tempo, começa a comentar assuntos sobre os quais, na verdade, você não tem o menor entendimento, vontade ou interesse, mas mesmo assim comenta (não se sabe porquê).  

Com o passar do tempo, você começa a monitorar as curtidas de suas publicações, dentro daquelas seis possibilidades disponíveis, como também a monitorar as curtidas e os comentários que você mesmo fez em publicações de seus amigos, percebendo muitas vezes que seus comentários não são sequer curtidos. Então, a ficha começa a cair.

Depois de toda a empolgação inicial, você começa a ser mais seletivo e reservado com suas publicações, comentários e compartilhamentos. Ao final, sem abandonar a rede, decide que você vai usá-la em proveito próprio. É como se você publicasse uma matéria sobre um tema que goste muito, em algum jornal ou revista, para você mesmo guardar e reler. Se alguém curtir, bem, se não, tudo bem também. É a rede te fazendo bem: sua matéria foi publicada, aproveite.

 

Guilherme Mauro

Guilherme Mauro

Profissional de Relações Públicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *