As fontes e as palavras

O dia não estava fácil para aquele senhor que veio à consulta. A motivação de procurar o médico surgiu dos altos e baixos do dia a dia, que muito o perturbavam. Ao chegar, cumprimentou-me e pôs-se a falar o quanto se sentia incomodado com aquelas oscilações. Ele falava, eu escutava atentamente. De repente, começamos a procurar, juntos, algumas explicações para o mal-estar que o visitava com frequência e que, muito provavelmente, era a razão das suas insônias, dores de cabeça, resfriados constantes e indisposições.

Conversamos sem pressa. E, de repente, perguntei-lhe qual era a sua fonte. “O quê?”, perguntou-me ele. “Sim”, reforcei, “é isso mesmo: qual é a sua fonte? O que lhe dá ânimo, força, vontade de continuar na lida?” Ele me olhou com uma certa palidez e me disse: “Não sei. Acho que está me faltando uma fonte. Doutor, qual é a sua fonte?”

Esse caso que aconteceu há alguns meses me trouxe algumas reflexões. Precisamos de fontes. As pessoas estão carentes. Vivem no automático, na superficialidade. Ter uma fonte ou mais fontes faz toda a diferença. A fonte pode ser a família, o trabalho, a escola, o estudo, a atividade social, a igreja… Mas também é preciso alimentá-la. O alimento pode ser a ética, a filosofia de vida, os valores, a espiritualidade, outros.

As fontes, quando bem alimentadas, nos dão a disposição para lidar com as intempéries da vida, nos ajudam a lidar com as doenças ao nos tornar imunologicamente mais preparados para enfrentar as fragilidades que nosso organismo possa ter diante de determinadas situações.

E as palavras? Ah, sim, não podemos nos esquecer das palavras. Elas podem despertar as fontes. Algumas correntes cristãs costumam usar uma frase bíblica muito interessante: “O espírito sopra onde quer”, fazendo alusão aos toques interiores que podemos receber de origens diversas. Muitas vezes uma palavra vinda de uma pessoa, de um texto, de um fato, pode transformar a nossa vida.

Penso que a saúde, entre outros fatores, tem a ver com o equilíbrio entre a pessoa e a sua fonte. E mais: que as palavras têm um papel muito importante nesse sentido. Não devemos menosprezá-las, mas ter um carinho todo especial com elas. E saber que, algumas vezes, de onde pouco se espera, vem uma palavra que desperta a nossa fonte adormecida e nos traz à vida.

Aristides José Vieira Carvalho

Aristides José Vieira Carvalho

Médico, mestre em medicina, especialista em clínica médica e em medicina de família e comunidade, professor do curso de medicina da FASEH e coordenador de Residência Multiprofissional da Atenção Básica/Saúde da Família da Secretaria de Saúde de Belo Horizonte.

13 comentários em “As fontes e as palavras

  • 22 de novembro de 2016 em 10:22
    Permalink

    Muito bom!
    Que nossas Fontes nos deixem seguir e avançar.. alimentando nossas vidas.!

    Parabens!

    Resposta
  • 22 de novembro de 2016 em 11:40
    Permalink

    Realmente a Fonte é o fundamento ou a causa de algo, achei interessante no texto que não podemos esquecer das palavras elas podem despertar as fontes e sim podendo transformar nossas vidas .Parabéns belo Texto.

    Resposta
  • 22 de novembro de 2016 em 18:58
    Permalink

    Aristides, belo texto! Que suas palavras possam despertar nossas fontes interiores!

    Resposta
  • 23 de novembro de 2016 em 11:42
    Permalink

    Me fez pensar se estou alimentando minhas fontes!!!!
    Parabéns mestre.

    Resposta
  • 27 de novembro de 2016 em 16:47
    Permalink

    Está aí demonstrada a importância de nos saciarmos em fontes límpidas e procurar mantê-las assim. Acredito que a fonte mais cristalina esteja ligada à espiritualidade, isto é, à nossa ligação com Deus. Essa fonte bem cuidada desde criança pode nos ajudar por toda a vida.
    Aristides, parabéns pelo texto.

    Resposta
  • 27 de novembro de 2016 em 18:36
    Permalink

    Texto sensacional do meu querido professor, orgulho de ser sua aluna!

    Resposta
  • 28 de novembro de 2016 em 09:46
    Permalink

    Lindo texto! Nossa como faz sentido… Qual é a sua fonte?! Faz-nos refletir, e realmente temos que ter a fonte, ou as fontes… que nos encoraja e incentiva prosseguir…

    Resposta
  • 28 de novembro de 2016 em 15:44
    Permalink

    Ariscarrrrrrrrrr

    Muito bom! As referencias!
    Certamente voce sera referencia para este senhor!
    Certamente suas queixas irão melhorar por ter encontrado voce1

    Resposta
  • 29 de novembro de 2016 em 16:59
    Permalink

    Ótimo Texto Senhor Aristides,as Palavras saídas de nossa Boca tem um poder muito grande que elas sejam usadas para levantar o auto-estima das pessoas,que o Senhor seja sempre a Fonte trazendo palavras que possa nós ajudar no dia a dia.
    Parabéns que Deus abençoe sempre te dando cada dia mais entendimento e Sabedoria.

    Resposta
  • 30 de novembro de 2016 em 17:59
    Permalink

    Quanta clareza, Aristides! Aprendi muito. Sim, precisamos ter sabedoria para descobrir a fonte no dia a dia ou de cada dia e fazer a escolha de manter a fonte alimentada para que o bom ânimo nunca nos abandone.

    Resposta
  • 30 de novembro de 2016 em 23:02
    Permalink

    Muito bom texto. Precisamos mesmo ter fontes…nutri-las…

    O problema é que muitas vezes nos esquecemos disso!

    Resposta
  • 6 de dezembro de 2016 em 22:27
    Permalink

    Nossa, muito bom! É verdade mesmo, precisamos de “fontes”, como a família, os amigos, a religião, os estudos, etc, as quais também devemos conciliar com objetivos, metas, enfim, de algo que nos alimente o espírito, a mente e a alma; que faça nosso corpo e nossa mente trabalhar e exercitar-se. Acredito na importância desse conjunto de valores para nos mantermos como pessoas sadias e equilibradas, e que muitas vezes valem mais do que muito remédio!

    Resposta
  • 7 de dezembro de 2016 em 20:38
    Permalink

    A palavra certa na hora certa! Devemos pensar que uma fala pode levantar ou derrubar uma pessoa ! Depois que falamos, ela é processada. Não temos como recolher, o que foi dito!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *