Infecções poderão se tornar incuráveis

Muitas infecções causadas por diversos tipos de micro-organismos estão se tornando intratáveis, em decorrência do uso indevido ou inadequado de antibióticos. Se esse problema não for atacado, não haverá possibilidade de cura para as infecções comuns num futuro próximo.

carmem-pessoa
Carmem Lúcia Pessoa-Silva

A advertência é da coordenadora do Programa de Vigilância do Sistema de Resistência aos Antimicrobianos da Organização Mundial de Saúde (OMS), a médica e professora brasileira Carmem Lúcia Pessoa-Silva, que está empenhada na promoção de uma campanha destinada a chamar a atenção da população global para a gravidade da situação. Nesse sentido, a OMS realiza até domingo (20) a Semana Mundial de Conscientização sobre Antibióticos.

Carmem Lúcia disse que a campanha tem cinco objetivos: “O primeiro objetivo estratégico é aumentar o nível de consciência de todos sobre a resistência aos antimicrobianos; o segundo é ter conhecimento do que está se passando, aumentar o grau de vigilância; o terceiro objetivo é aumentar todos os esforços para o controle de infecções; o quarto é otimizar todas as formas de uso de antimicrobianos; e o último é desenvolver novas armas de prevenção de infecção”.

Morte

O uso indevido ou inadequado de antibióticos pode levar à morte pessoas que procuram tratamento para problemas de saúde relativamente sem maior gravidade, como num caso relatado por Jane E. Brody, autora da coluna “Saúde Pessoal”, do “The New York Times”.

A seguir, a transcrição de parte do artigo da colunista:

“Pode-se dizer que Jacob Epstein, morador da Flórida (EUA) elegante e saudável de 88 anos, morreu no começo de maio por causa de um braço quebrado. Depois de passar por uma cirurgia para recolocar o osso no lugar, ele tomou um antibiótico para prevenir uma infecção pós-operatória, prática comum nos hospitais.

Sua filha, Beth Fidanza, lembra que, em uma semana, seu pai teve uma diarreia causada por uma bactéria intestinal terrível chamada Clostridium difficile, ou C. difficile. Um outro antibiótico parecia ter acabado com a doença, mas, depois de alguns dias, ele desenvolveu uma combinação fatal de falência dos rins, pressão baixa e sangramento gastrointestinal.

A morte de Epstein foi, na verdade, o resultado do uso inapropriado de antibióticos, que causaram o aumento de uma cepa agressiva e resistente a esses medicamentos da C. difficile, organismo responsável por cerca de 500 mil novos casos da doença e 30 mil mortes por ano nos Estados Unidos.

A C. difficile é uma bactéria que forma esporos, produz toxinas e pode colonizar o intestino grosso e causar-lhe vários estragos, resultando em fezes líquidas e desidratação profunda. Os esporos são resistentes ao calor, ao ácido e aos antibióticos; podem ser lavados com sabão e água, mas não com os higienizadores de mãos que têm o álcool como base, comuns nas instalações de saúde. Dessa maneira, mesmo uma higiene não muito boa no banheiro é capaz de espalhar o organismo.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *