Luiz Fernando Janot e os rumos urbanos

A cidade do século XXI agrega um conjunto heterogêneo de diversidades socais, econômicas e culturais no seu território

Ele é professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), articulista do jornal O Globo e ex-presidente do departamento fluminense do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB/RJ), no qual integra o Conselho Superior.

A INDESEJÁVEL EXPANSÃO DE PERIFERIAS REPLETAS DE PROBLEMAS

“As grandes cidades não mais se restringem aos seus limites administrativos. O crescimento e a expansão vertiginosa da malha urbana transformaram as aglomerações periféricas em novas cidades, constituindo uma região metropolitana complexa e repleta de problemas, em larga escala, que exigem investimentos públicos nem sempre disponíveis.”

A CIDADE COMPACTA CONTRAPÕE-SE À SEGREGAÇÃO DOS CONDOMÍNIOS

“O processo de expansão urbana avança, indesejavelmente, na contramão da cidade compacta, isto é, aquela que agrega em seu território um conjunto heterogêneo de diversidades sociais, econômicas e culturais nos seus espaços públicos. Essa visão de cidade se contrapõe à cidade segregada dos condomínios fechados.”

A VIABILIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS IMPRESCINDÍVEIS AO BEM-ESTAR COLETIVO

“A cidade compacta é a cidade sustentável do século XXI. É que racionaliza, com eficiência e economia, os meios de transporte coletivo, o uso de energia, os sistemas de saneamento básico, a segurança pública, entre outros aspectos relevantes ao seu desenvolvimento presente e futuro.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *