O público da música instrumental

A música mais elaborada é para um público mais velho?

Bruno Golgher responde:

“Não é. Uma das coisas mais legais da música instrumental é que mistura tudo. Acho que ela contempla todas as idades, o que é interessantíssimo. Eu não acho que haja um perfil de idade. Os mais velhos participam muito dos shows, e a meninada, também. É a meninada ligada com a produção cultural. Tem bastante gente jovem fazendo uma música muito boa. É um grupo que teve educação formal na música. E tem uma velha guarda muito ativa. Cada músico tem o seu público, aquele que acompanhou a sua história. É isso é que dá a predominância de uma faixa etária sobre a outra. É muito interessante, hoje, que haja uma disciplina muito maior dos músicos mais jovens. Eles se organizam para tocar em bar. E todos com partitura. Estão fazendo uma música de altíssimo nível”.


Bruno Golgher é proprietário do Café com Letras e o criador e diretor do Savassi Festival, de Belo Horizonte. (Foto: Lucas Hallel)

Valerio Fabris

Valerio Fabris

Editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *