Que 90% do que fazemos seja perto de casa

Por Carlos Leite

carlos-leite-urbanistaO modelo do século XX, de uma cidade dispersa e monofuncional, em que se depende do carro para tudo, faliu de vez, acabou.

A cidade que se está buscando é muito diversa dessa do século passado, porque não há o menor sentido em, por exemplo, se separar a moradia do trabalho e, também, dos demais usos urbanos.  

O saudável é que possamos fazer 90% das coisas perto de onde a gente mora.  E, para as movimentações que ficam fora desse dia a dia típico, usemos um bom e eficiente transporte público.

A cidade tem de ser feita de centralidades multifuncionais, propiciando-se o encontro entre as pessoas e, também, as atividades típicas do dia a dia.  Temos de resgatar a qualidade da vida cotidiana.  


Carlos Leite é arquiteto e urbanista, professor da Universidade Mackenzie e autor do livro ‘Cidades Sustentáveis, Cidades Inteligentes’    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *